sexta-feira, 29 de agosto de 2014

TEMPO DE PREPARO DE UM NOVO BLOG



ALGUMAS SEMANAS DE LAYOUT EM BANHO-MARIA, ALGUNS DIAS DE PRODUÇÃO DE TEXTO NA PANELA DE PRESSÃO E NO DIA 1º DE SETEMBRO O PRATO SERÁ SERVIDO!



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

MODO DE PREPARO DE UM NOVO BLOG


DEVORE LIVROS, COZINHE COM GOSTO, ESCREVA COM DOÇURA E SABOREIE A DIVERSÃO!


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Gourmandisme no Japão!


As malas estão prontas (na verdade uma só...) para começar hoje à noite uma deliciosa viagem pelo Japão!!! Tokyo e Kyoto, aqui vou eu com minha câmera à tiracolo! O Gourmandisme ficará de férias por 2 semanas, mas o nosso InstagramFacebook receberão as novidades fresquinhas...

Então, para quem gosta de Facebook, corre lá: Gourmandisme por Bruna Leite

E para os fãs de Instagram@bruna_leite


sexta-feira, 25 de julho de 2014

O livro da minha bisavó e a receita de Broa de Milho para o meu irmão

Tenho só um irmão. Ele mora lá na minha cidade, Blumenau. Coincidência, ou não, ele é formado em gastronomia também. Ou seja, adora comida! Só que mesmo com a paixão mútua por gastronomia, ele nunca havia me pedido para cozinhar pra ele. Nada específico, pelo menos. Até o dia que ele me pediu para fazer Broa de Milho. Isso foi há mais de três anos... 

Sim, tenho ignorado sistematicamente o pedido dele há três anos. Não por falta de vontade, mas porque não tinha a menor ideia de como fazer Broa de Milho. Tenho certeza que nenhum dos meus livros de culinária francesa inclui uma receita assim. Então fui deixando...




Mas, as coisas estavam prestes a mudar... Eu herdei o livro de culinária da minha bisavó: o clássio "Receitas do Meu Lar", em sua 3a Edição, datada de 1947. Ele foi escrito por uma tal de "Sinhá Cecy", que garantia ter feito ela mesma todas as receitas! 

O livro tem de tudo, desde dicas para montar um "fogão auxiliar" para épocas de racionamento, passando por receitas de papinhas de bebê até cocktails para receber o marido no fim do dia. Uma pérola da história culinária brasileira! 

Mas além do livro, folheando cuidadosamente as páginas eu achei várias receitas anotadas em guardanapos, pedaços de papel, notas fiscais do supermercado. No meio disso tudo tinha uma receita de Broa de Milho. Retirei a erva-doce da receita, mudei um pouquinho as quantidades e aqui está, a receita do caderno da minha bisavó...




Broa de Milho

Ingredientes
1 lata de leite condensado
1 xícara de leite
100 g de manteiga em temperatura ambiente
1 colher (chá) de sal
2 xícaras de fubá
½ xícara de polvilho doce
2 ovos
1 colher (sopa) de fermento em pó

Como fazer
Misture o leite condensado, o leite, a manteiga, o sal e leve ao fogo médio. 
Assim que ferver, abaixe mais ainda o fogo e junte os ingredientes secos, menos o fermento.
Continue mexendo até começar a desgrudar da panela.
Passe a mistura para um bowl grande e adicione os ovos, mexendo bem.
Deixe esfriar um pouco e adicione o fermento.
A mistura ficará bem mole, então use forminhas para assar (eu usei essa aqui da Wilton).
Leve ao forno (220°C), por cerca de 20 minutos ou até que estejam douradas.



Mas a história não acaba aí... E para levar as broinhas, feitas com tanto amor e carinho, de São Paulo para Blumenau? Por sorte, tinha guardada há um tempo essa caixinha desmontada, com direito à lacinho e mini-cartão para dedicatória... 





Acabou sendo perfeita para levar no avião!




Acho que o mano gostou das broinhas, acabaram no dia seguinte...

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Os 8 produtos imperdíveis de Santa Catarina

Como já havia falado aqui, semana passada fui visitar a feira gastronômica SC Gourmet 2014 e participar do encontro de blogueiros de gastronomia. A feira tinha mais de 100 expositores apresentando novidades em produtos, bebidas e equipamentos.

Uma curiosidade antes de seguir, eu participei como imprensa da primeira edição da feira, lá em 2011. Naquela edição eu cozinhei com o Chef Emmanuel Bassoleil, provei pela primeira vez Bottarga e me apaixonei pelo queijo Gran Mestri




Já na edição 2014, 8 produtos em especial me chamaram a atenção. Garanto que vale a pena ficar de olho: 


1. Pão de Cacau do Chef Giuseppe Marino, coordenador do Curso de Gastronomia da Uniasselvi Blumenau 




2. Cachaças artesanais da Bylaardt de Luís Alves




3. Truta defumada da Marithimu's




4. Suco de uva e geleias da Di Creazzo




5. Café Gourmet da Colonial Café




6. Chocolate com Cranberry da Doce Beijo




7. Queijos artesanais da Queijo com Sotaque




8. Cervejas e Chopp da Zehn Bier





Já sobre o encontro de blogueiros, tenho que dizer, foi uma delícia bater um papo com leitores e tirar dúvidas do dia-a-dia na cozinha. Além disso, adorei conhecer a Dani do Cozinha Travessa, a Maria do DigaMaria, a Patty do Aqui na Cozinha, o Alê do Cuecas na Cozinha, a Tati do Panelaterapia e a Gisele do Receitas de Minuto.




Que venha a SC Gourmet de 2015!


terça-feira, 22 de julho de 2014

Arroz de Pinhão e o inverno

Para quem, como eu, é do Sul, pinhão é sinônimo de inverno! Lá onde as estações são bem definidas, a gente só consegue comprar a semente da Araucária quando o frio aparece. Não tem jeito de conseguir antes. E quando ele chega, é uma loucura! 

Primeiro a gente trata de comer o danado puro, cozido na água com sal e mais nada. Para matar a vontade logo. Depois a gente faz uma farofa com ele, para acompanhar nosso churrasco (ah churrasco no inverno é muuuito melhor do que no verão, viu?). E também aproveita para fazer um entrevero, prato típico lá da terrinha que leva vários tipos de carne, linguiças e mandioca.

E então o povo começa a usar a criatividade... Já ví salada de pinhão, molho branco com pinhão para acompanhar massas, sopa de pinhão e até pinhão com chocolate! Para ser sincera, não gosto de nada disso. A minha "receita criativa" com ele é só uma: arroz de pinhão!

Alguns detalhes da minha receita:

  • Deixe o arroz italiano de lado e use o arroz agulinha, o brasileiro mesmo
  • Substitua também o vinho branco por cognac. Vai dar mais sabor ao prato de inverno
  • Troque o caldo de legumes por de caldo de carne. Gosto do Caldo de Carneiro NOMU
  • Por fim, use cream cheese para finalizar o arroz de pinhão, ao invés da manteiga


Leva mais ou menos 30 minutos para ficar pronto, da preparação dos ingredientes até a finalização! Não tem desculpa para não fazer...




ARROZ DE PINHÃO

Ingredientes
2 colheres de sopa de manteiga
1 cebola, picada
1 xícara de pinhão cozido, picado
1 xícara de arroz agulinha
½ xícara de cognac
2 xícaras de água (pode precisar de mais, fique de olho)
2 colheres de sopa de caldo de carne, líquido
½ xícara de cream cheese
½ xícara de salsinha, picada
sal e pimenta


Como fazer
Derreta a manteiga e doure a cebola.
Acrescente o pinhão e logo em seguida o arroz.
Adicione o cognac e cozinhe até evaporar o álcool.
Entre então a água e o caldo de carne. Acerte o sal.
Cozinhe até o ponto desejado (se pinhão absorver muita água, acrescente mais).
Finalize com a pimenta do reino moída na hora, cream cheese e salsinha.
Sirva em seguida


Dica de apresentação
Desenhe no prato com um creme de balsâmico e coloque o arroz de pinhão por cima, centralizado. Finalize com um fio de azeite.




E viva o inverno!!!


sexta-feira, 18 de julho de 2014

Sexta de Compras: os livros essenciais para a cozinha gourmet

Toda cozinha gourmet que se preze tem alguns livros de culinária/gastronomia empilhados, certo? E para não fazer feio, tem que ter variedade. Esses aqui são os meus livros essenciais. Aqueles que abro sempre, que me inspiram e me salvam nos dias que a coisa "não vai"...




O livro do chef famoso

Pra mim, é o chef Gordon Ramsay. Que meu marido não veja isso, mas tenho uma paixonite aguda por esse chef. Acho ele gato, extremamente talentoso e charmoso demais.... Ai ai.... Bom, mas nem tudo são flores. 

Não gosto de quase nenhum livro dele, só esse aqui, o Gordon Ramsay's Great British Pub Food. É um livro mais velho (de 2009), feito por um britânico, para os britânicos. As receitas são diferentes de qualquer coisa que a gente encontre por aqui, fáceis e práticas de preparar e ainda vêm com uma notinha do chef. 





O livro do restaurante estrelado

É o meu tipo favorito de livro. Tenho de vários: NOMA (2 livros na verdade, mas é compreensível, né?), Faviken, DOM, Gramercy Tavern, Akelare, Eleven Madison Park. Comprei os livros depois de comer nos restaurantes e gostar muito. Com exceção de um: The French Laundry Cookbook.

Nunca comi no French Laundry (fica na Califórnia), mas o livro é perfeito. Inspirador e ao mesmo tempo possível. O livro é tão bom que hoje em dia é meu restaurante dos sonhos para conhecer. Quem sabe nas próximas férias, né?




O livro "cool"

A Kinfolk é uma revista independente trimestral americana. Ela lança uma nova edição a cada estação e geralmente tem essa estação como tema. A revista celebra a simplicidade da vida e das coisas que nos cercam. E boa parte dela é dedicada à gastronomia.

E eles gostam tanto de comida que resolveram lançar um livro, o The Kinfolk Table. Com inspiração escandinava, traz uma série de receitas simples, mas charmosas. Uma delícia de folhear. E de deixar em um lugar que suas visitas possam folhear. Afinal, é um livro "cool" demais!



O livro do seu ingrediente preferido

O meu é carne de porco. Amo tudo do porquinho. Então nada mais natural do que um livro que só fale disso, certo? O Pork & Sons cumpre bem esse papel, com ideias criativas para se deliciar com bacon e afins.

É daqueles livros que você engorda só de olhar...


O livro do seu prato favorito

Tortas. Eu amo fazer tortas. Todos os tipos, tamanhos e sabores. Há muito tempo procurava um livro que me inspirasse. Que trouxesse receitas novas e originais. Achei tudo isso no The Four & Twenty Blackbirds Pie Book




O livro-inspiração

Aquele livro para folhear, ler e reler. E ainda fazer as receitas! O escritor e blogueiro de gastronomia David Lebovitz é mestre em livros desse tipo, tenho outro dois dele. Mas o mais recente, My Paris Kitchen, é definitivamente o melhor! 

É o livro perfeito para ler quando você precisa de motivação para ir pra cozinha. Funciona comigo todas as vezes!


terça-feira, 15 de julho de 2014

Curry express: 20 minutos e você está na Índia

Quatro ingredientes básicos: ghee, pasta de camarão, madras, gengibre. Um pouco de alho, cebola picada, tomates pelados e a proteína de sua preferência. Pronto, curry express! Eu explico...



Ghee
É manteiga clarificada. Como a nossa manteiga de garrafa, só que indiana. A vantagem é que além de dar um sabor delicioso para os pratos, resiste à altas temperaturas sem queimar. Hoje em dia é muito fácil de achar nos supermercados.

Pasta de Camarão
É uma espécie de caldo de camarão, transformado em pasta, feito de camarões fermentados e desidratados com um pouco de sal. Ela é perfeita para iniciar curries de frutos do mar (como este de hoje) ou qualquer outro prato com peixes.

Madras
É uma mistura de curry (temperos) e molho de tomate, com um leve toque de pimenta. Eu não sou fã de pimenta, mas esse molho tem aquela medida certa para dar um gostinho de comida indiana. Duas colheres de sopa são suficientes para um prato para duas pessoas.

Gengibre 
É o que vai completar o conjunto e deixar o aroma de comida indiana na cozinha inteira. Eu prefiro o extrato, para facilitar a vida. Particularmente, odeio descascar e picar gengibre. 

Pronto, agora você já tem os quatro ingredientes básicos para o curry express!



Curry Express

Ingredientes
1 cebola, picada
3 dentes de alho, picados
ghee, pasta de camarão, madras e extrato de gengibre
1 lata de tomates pelados, batidos em um mixer
1 posta de pescada branca, cortada em pedaços pequenos
coentro picado
arroz basmati para acompanhar

Como fazer
Derreta o ghee e doure a cebola com o alho.
Adicione uma colher de sopa de pasta de camarão, duas de madras e uma de extrato de gengibre.
Coloque então os tomates pelados e cozinhe em fogo médio por 5 minutos.
Adicione o peixe, e acerte o sal.
Mantenha no fogo até o peixe cozinhar totalmente, 5 minutos no máximo.
Finalize com o coentro e sirva com o arroz basmati.


Dica: o arroz basmati da Casino vem em 4 saquinhos (super prático) e fica pronto em 10 minutos. 




segunda-feira, 14 de julho de 2014

As minhas 14 melhores receitas francesas para o Dia da Bastilha!

Dia 14 de Julho é o Dia da Bastilha na França. Mas esse é o nome para os estrangeiros. Entre eles é o Dia Nacional Francês. Um pouquinho de história: é a comemoração do início da Revolução Francesa, lá atrás em 1789. Foi por consequência dela que a monarquia caiu e Louis XVI e Maria Antonieta perderam a cabeça, literalmente. 

Aula de história à parte, é um dia de festa na França! Há uma grande parada na Avenue Champs-Elysée (aquela com o Arco do Triunfo no início), a Torre Eiffel brilha colorida com as cores da França, muitos fogos de artifício e todo mundo se joga de cabeça na culinária tradicional!

Mas já que não estamos em Paris hoje para aproveitar tudo isso, aqui está um pouquinho da França para deixar todo mundo no clima...


14. French Toasts
Muito parecidas com as nossas rabanadas, só que mais charmosas. 




13. Gougères
O pão de queijo francês, com muito gruyère.




12. Oeufs en Cocotte
Traduzindo... Ovos no potinho.




11. Quiche Lorraine
A torta de ovos clássica com uma mudança: no lugar de bacon, linguiça toscana!




10. Sanduíche à la française
Pão ciabatta. Rúcula. Queijo de cabra. Figos frescos. Presunto cru. Creme balsâmico. Azeite de oliva. Flor de sal.




9. Terrine de Foie Gras
Porque não dá para ficar mais francês do que isso...




8. Boeuf à la bourguignonne
Essa é a minha receita "carta na manga". Já fiz tantas vezes que perdi a conta. É sempre um sucesso...




7. Coq au Vin
Receita do norte da França, significa galo no vinho tinto. Nesta caso, coxas de peru no vinho tinto.




6. Daube Provençal
Aqui já vamos para o sul da França. Carne de cordeiro cozida no vinho rosé.




5. Peixe Meunière
O prato que converteu Julia Child à culinária francesa (lembram de Julie & Julia?).




4. Soufflé de Siri
Francês até a última sílaba!




3. Madeleines
Pequenos e deliciosos bolinhos com sabor de baunilha, ou do que você quiser.




2. Tarte Tatin
Torta de maçã invertida. É vendida em toda padaria francesa e um clássico absoluto.





1. Crème brûlée (de banana)
O grand finale perfeito para qualquer menu francês, não é? Só que com um toque brasileiro...





sexta-feira, 11 de julho de 2014

Meus 5 lugares favoritos em São Paulo

Já são mais de sete anos morando em São Paulo. Dez anos, se contar o tempo em que namorava meu marido e passava final de semana sim, final de semana não em terras paulistanas. E em uma década de convivência com a cidade aprendi a gostar dela de verdade. A achar beleza em todos os lugares. A tirar proveito do que ela tem de melhor para me oferecer. 

Até chegar no ponto de ter meus lugares favoritos! Aqueles que volto sempre sem nem pensar duas vezes. Aqueles lugares infalíveis que levo minha família e amigos que estão de visita na cidade. Aqueles que não tem erro!































Minha padaria favorita

A tal da padoca paulistana. Eu moro no Itaim Bibi, e uma das vantagens é poder fazer muita coisa a pé. Ir até a padaria é a melhor delas. Eu adoro a Saint German Panificadora e Confeitaria. E não é só porque ela é do sul (a sede é em Curitiba) não! 

É por causa do sanduíche Cheese Califa: quibe, bacon, queijo mussarela, alface, tomate e pasta especial, no pão francês. Irresistível...

Saint German São Paulo
Rua: Manoel Guedes, 110 Itaim Bibi
Tel.: 11 3167-5400




Meu supermercado/templo gourmet favorito

A Casa Santa Luzia tem tudo, absolutamente tudo, que eu gosto ou quero ou preciso. Produtos do Brasil e do mundo inteiro. Carnes de todos os tipos e animais. Frutos do mar variados. Especiarias. Geleias francesas. Embutidos italianos (os melhores). Pães artesanais. Queijos, queijos e mais queijos.

Enfim, como eu disse antes, tudo.

Casa Santa Luzia
Alameda Lorena, 1471 Cerqueira César
Tel.: 3897-5000




Meu hambúrguer favorito

Na verdade, o único hambúrguer que eu gosto de verdade em São Paulo. Ele tem o gosto de interior, daqueles feitos com gordura de verdade, mal passados e saborosos. Sempre peço o mesmo: cheeseburguer de picanha com salada e (muita) maionese verde da casa

New Dog
Rua: Joaquim Floriano, 254 Itaim Bibi
Tel.: 11 3168-7899





Meu japonês favorito

Ele não é pop. Não tem mesas baixas onde sentamos sem sapatos. As luzes são fortes e o ambiente bem claro. Nada de grupos animados bebendo sake até a hora de fechar. Pelo contrário, muitas famílias e o pessoal do bairro. 

Mas ele é bom. Muito bom. E autêntico. Não tem nada com cream cheese no menu... 

Shigueru Sushi
Rua: Leopoldo Couto Magalhães Júnior, 275 Itaim Bibi
Tel.: 11 3079-2200





Meu restaurante favorito 

Patê de Campagne. Foie Gras au Torchon. Barriga de Porco. Escargot. Tutano. Coxinhas de Rã. Cassoulet. Confit de Pato. Escalope de Fígado. Arraia Noisette. Coq au Vin. Ostras frescas. Moules Frites. Pain Perdu.

Enfim, tudo que eu mais gosto de comer na França, só que aqui em São Paulo. Com a mesma qualidade. O que mais eu preciso dizer? Perfeição.


Ici Bistrô
Rua Pará, 36 - Higienópolis
Tel.: 11 3257-4064



Imagens: Google

quinta-feira, 10 de julho de 2014

SC Gourmet 2014. Eu vou e você?

A contagem regressiva já está no site do SC Gourmet 2014.  Entre 16 e 19 de julho, o Setor 1 do Parque Vila Germânica volta a reunir expositores de bebidas, alimentos gourmet, utensílios e equipamentos



Para esta edição, o SC Gourmet 2014 reunirá expositores nacionais e estrangeiros. Além de novidades como a Arena Senac, um espaço em que chefs farão palestras e apresentações gratuitas em um cozinha totalmente equipada, e a Feirinha Gastronômica, que vai oferecer produtos da alta gastronomia com preços acessíveis. 

E o que eu tenho a ver com tudo isso? Bom, estarei lá participando do 1o Encontro de Blogueiros de Culinária e seus leitores



O Encontro de Blogueiros acontecerá no dia 17 de julho (quinta-feira que vem), das 19h às 20h e será um bate-papo descontraído, divertido para os dois lados, leitores e blogueiros! Eu vou e você?



SC Gourmet 2014
De 16 a 19 de julho, das 16h às 22h
Parque Vila Germânica – Blumenau (SC)